sábado, 28 de agosto de 2010

Pretinho Básico na Revista Eléve!

Os meninos do Pretinho Básico vão ser Capa da Revista Eléve no mês de Setembro. Em breve a matéria e mais algumas fotos!

Créditos da foto - Revista Eléve
Foto de - Jeferson Guareze


Beijinhoos Moderadoras :)


segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Pretinho Basico e o Bi do Internaciona!

video

Créditos: www.clicesportes.com.br

Bjxx Moderadoras

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Novidades!

Em breve novidades aqui no blog. Mas em primeira mão uma prévia de como ta ficando! Aguardem!

Créditos do novo leyaut (Patriny Marcelle)
Bjx Catti, Ju e Jalize

Coisinha maiis fofa! u.u


beijinhooos Catti, Ju e Jalize

achamos no www.clicrbs.com.br/patrola



beijinhooos Catti, Ju e Jalize

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Entrevista EXCLUSIVA do Potter com o FCO! Uhuuu

Há algum tempo atraz enviamos para o Potter umas perguntinhas, tipo uma entrevista com algumas curiosidades e tal. E depois de muito enchermos a caixa de email dele com essas perguntas ele respondeu. E estamos muito felizes por isso!

Sem mais, palavras apenas agradecemos a atenção. Muito, muito obrigada!
Seguém então o email que enviamos, das perguntas com as respostas!
Esperamos que gostem tanto quanto nós gostamos...

---------------

Oi Lu, tudo bem?
Sabemos que tu é um cara ocupado e tal, e desculpa ficar te ocupando mais ainda..
é que eu já enviei as perguntas pra entrevista, e to esperando as tuas respostas pra postar no blog. Caso, tu não tenha gostado de alguma pergunta, não se incomode em não responder, entenderemos.
Vou mandá-las de novo, pra facilitar.
Obrigada desde já pela atenção.
Beijos,
Moderadoras.

--------------
PERGUNTAS:
1 - Como começou tua carreira?
Como estagiário da rádio Gaúcha, em 2000.

2 - Quando tu viu que teu trabalho estava dando certo e tu começou a ganhar fãs?
Na verdade ainda não sei se meu trabalho deu certo. Mas o contato com as pessoas que gostam do que faço começou quando iniciei a vida na rádio Atlântida.

3 - Como fica o contato com a família em meio a tanto trabalho?
Normal. Na verdade, o tempo afasta a gente. Antes morávamos todos no mesmo teto. Hoje tenho uma irmã em Pelótas, meus pais no Alegrete, meu irmão em São Leopoldo e outra irmã, mais próxima, que mora comigo em Porto Alegre. Mas o contato existe, claro, via telefone, internet, videocassete, os carro loco.

4 - Como surgiu o Pelego do Potter? E o que tu acha das mulheres que usam ele pra te cantar?
Surgiu de uma ideia da querida amiga e colega de trabalho Maria Paula Letti. Antes era uma coluninha no Vida Feminina, do Clicrbs. Depois, virou blog. E hoje, minha vagabundagem o largou. Voltaremos. E as meninas não dão em cima... elas brincam com a situação.

5 - Aliás, elas realmente mandam fotos pro teu e-mail quando tu pede? Tu olha?
Mandam!

6 - Como é a mulher que combina contigo (psicologicamente e fisicamente)?
Não existem carcterísticas específicas. A graça é que cada ser humano é diferente. Que as diferenças e igualdades façam a mistura certa.

7 - Onde exatamente tu nasceu: Alegrete, Santana do Livramento, Rivera ou Bahia?
Rivera, Uruguai.

8 - Pretende ter filhos? Quantos?
Claro! Uns 5!

9 - Como surgem os hits que o PB lança, tipo Funk do Tudo Bem, Guampa Manera, Designer, etc?
Nos intervalos, nos bares, hotéis, estradas, ou seja: quando a gente tá junto fora do ar.

10 - Como são os bastidores do PB? Vocês ensaiam alguma piada, algum texto, ou é tudo no improviso?
As piadas chegam pelo email. Os ouvintes mandam. a gente lê o material antes - mentira, não lemos quase nada... - e as coisas saem como são.

11 - Um lugar perfeito pra namorar? E pra morar?
Namorar, qualquer. Morar, Nova Iorque.

12 - Qual a música que tu mais gosta? E a banda?
Sem preferências específicas. De Billie Holiday, a Racionais, a Rage Against the Machine, a Jamiroquai a Balão Mágico.

13 - Tu tem algum ídolo? Quem?
Jogadores de futebol que me fizeram feliz.

14 - O que tu acha de ter um fã clube com mais de 1000 adeptos? Esperava por isso?
Pois é... sem palavras, ?! Fico lisonjeado... Demais...

15 - Como surgiu a oportunidade de ir cobrir a "Copa do Mundo" na África? E como tu se sentiu com isso?
Absolutamente do nada o Fetter me falou: “vais pra Copa!”. Chorei, fui, trabalhei e vivi uns dos momentos mais felizes da minha vida!

16 - O que tu ainda quer realizar por meio do teu trabalho?
Que as pessoas continuem rindo. Basta!

17 - De todas as viagens que tu fez (de ferias ou a trabalho) qual tu mais gostou? E pra onde ainda quer ir de ferias ou a trabalho?
New York, Vancouver, África do Sul e Quaraí foram demais... quero o mundo todo agora.

18 - Deixe uma mensagem para teus fãs..
palavra mais singela e completa, impossível: “Obrigado!”.

---------------

De novo muito, muito obrigada por tudo Lu!
Beijinhoooos moderadoras!

Potter na ZH!

Nesse sabado dia 31 de julho rolou na ZH uma matéria bacana sobre a lembrança de ferias e friu do Potter! Sem mais vamos a ela:



Ranhento é sinônimo de guri em dia frio

Nesta última semana das férias de julho, Zero Hora convidou os integrantes do programa Pretinho Básico, da Rádio Atlântida, a contar suas lembranças de inverno. Para uns, o frio é ótimo, para outros nem deveria existir. Mas recordações do frio, boas ou ruins, todos têm. Até amanhã eles esquentam este espaço com suas impressões. O sétimo da série é Potter:

“Tira o dedo do nariz, guri!” Brado da minha mãe. No Alegrete, atirado na calçada onde ficava cuspindo com os amigos depois de uma pelada, com goleiras feitas de pedra. Na rua, entre os carros, nos paralelepípedos. No corpo, uma calça de abrigo, uma camiseta de campanha de vereador e um moletom encardido.

Jogar bola com o minuano batendo, rengueando cusco, é o inverno da minha lembrança. Bueno, menti. Feio. Mentira das grandes. Inverno pra mim é algo que vai fazer muita gente – fresca! – parar de ler esse texto. Porque sabes tu, menina?! Tem muita gente cheia de frescura folheando essas páginas. Seguinte: inverno me lembra ranho.

Isso mesmo: monco, tatu, muco, catarro. Porque quando se é guri que vive na rua pedalando, jogando taco, mexendo com a gostosa da vizinha que volta da aula de inglês sempre às 18h39min da tarde, o nariz vira uma cachoeira. E claro: não fui criado em apartamento. Boco de bolita é na terra. Águedas só rolavam no chão da rua. No carpete, é coisa de veado (desculpas: homossexuais. O mundo agora é politicamente correto, hunpf).

Pero, volvendo, guri que é guri tem aquele caminho de ranho petrificado no lugar do bigode. A coriza escorre e congela. Dolo do frio. Ele é que petrifica. Certamente porque nessa época, o homem pouco se preocupa com a mulher. Ela é a culpada do nascimento da vaidade masculina. Do primeiro Amor Gaúcho. Da primeira “prestada de atenção” no rótulo do xampu. Do primeiro creme rinse.

Nessa época, a maior preocupação é a bola. “O Luisinho comprou uma bola nova, gurizada!” Beleza! Todo o cuidado com o Luisinho. Agora, ele é o dono da rua. Dono do jogo. E o bom era que o Luisinho deixava a bola quando a mãe o chamava pra fazer “os dever”.

Mas, e o ranho? Ele é o símbolo do frio. É o símbolo da criação interiorana. É o ônus da falta de coberta, do furo na casa pobre. Do vento que uiva nas frestas. Da orelha que não se sente. Se passa frio no sul do Brasil. Mas pra alguns, o inverno é sem ranho. Já viu uma criança ranhenta no Moinhos de Vento?

Eu nasci chorando, não no Moinhos, mas tive sorte. Três cobertores me acalentavam. As paredes de concreto deixavam o minuano lá fora. Mas, de tudo isso, a única coisa que ainda permanece viva depois de três décadas é algo singelo, que especialistas dizem que até saudável é: continuo enfiando o dedo no nariz. Com gosto. Com um estranho prazer.

potter@atlantida.com.br

POTTER

É isso aii bjxx Moderadoras!